quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

A menina e o cachorro

A menina e o cachorro

Arnaldo Antunes / Liminha / Ana Cañas

Quero ver a menina
Quero ver o cachorro
O vestido
Toda vestida de flores, lá vem a menina

Quero ver o cachorro
quero ver o que ginga
O que vinga
Quero estender um tapete vermelho pra ela

E no altar da capela
Dizer que sim pra ela
Mas se não
Quiser se casar comigo, posso ser seu amigo

Eu posso ser seu amigo
Fiel como um cachorro
Incansável
Só pra ficar mais perto dela e das flores

Um canteiro
Um jardim
Para ela
Para mim

Um cachorro
Um buquê
Para ela
Pra você

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Um tempinho

Nessa correria maluca, no automático do dia-a-dia, às vezes até o que nós gostamos fazemos sem curtir ou pensar direito. Em 2013 prometi dar um tempinho mais para tudo...

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Feminilidade

"Assim, a crise e a falta de perspectiva individuais e coletivas parecem reativar a feminilidade mais arcaica, percebida como uma saída em uma sociedade dura, competitiva, implacável - seja n o recolhimento do lar ou na busca por um lugar ao sol ( a panóplia da mulher fatal). Lado mãe ou lado prostituta, essa feminilidade se define em função das necessidades e expectativas dos outros. Aquelas que se conformam com essa condição reprimem seus próprios desejos, opiniões e ambições íntimas." Bem longe do ideal das lutadoras de outrora, das mulheres livres, das intelectuais e mulheres de poder, a feminilidade hoje parece responder a apenas um atributo - a sedução - e ter um único objetivo - a maternidade. Os homens e as crianças primeiro!"

Por Mona Chollet,  Le Monde Diplomatique.

Vontade de gritar esse texto!!