terça-feira, 12 de maio de 2015

Meu irmão

Esse ano meu irmão faz 20 anos. Lembro muito pouco de quando ele chegou lá em casa. Quando fomos buscar ele no aeroporto, minha mãe colocou ele no colo do meu pai, que eu lembro ter chorado. Depois disso, lembro de um bebê gordinho, calmo, dos meus pais muito felizes. De uma babá que ele adorava. Dele brincando de dirigir e de como ele gostava de passear de carro. Da música da lagarta pintada e do filme do Tarzan. Do período Toy Story. Dos e-mails que ele me mandava quando morei longe deles pela primeira vez. São 10 anos de diferença de idade e enquanto ele crescia, eu era adolescente. Fui uma típica adolescente, pensando sempre muito em mim e nada nos outros.Depois, já mais velha, continuei com esse hábito. Ele estava sempre lá e pra mim, seríamos qualquer família. Aí, começaram os problemas. A dificuldade na escola, o distanciamento da gente, as brigas, a comunicação cada vez mais difícil, o isolamento, o estranhamento, a tristeza e a luta dos meus pais. Ele virou um problema para mim, alguém que eu tentava ajudar, mas só errava, só criava mais dificuldades. Fui atrás de Buda, de pretos velhos, de espíritos de luz, de Jesus. E ficava cada vez mais longe dele. Pedia pela cura dele... 
Ao procurar ajuda para ele, começou um caminho de autoajuda. Fui me tratando, me conhecendo, dando de cara com medos, fobias... E recebi tanto amor, conheci tanta gente, foi crescendo em mim a sementinha da compaixão. Passei a rezar pela felicidade dele e agradecer a oportunidade que ele me deu de não olhar só para mim. Sigo triste em não ajuda-lo, triste com essa distância, com o sofrimento dos meus pais. Mas essa dificuldade abriu o caminho para nossa família ser uma família mais unida. Um problema de verdade exige da gente que sejamos fortes, generosos, gratos. 
Um dia, espero que meu irmão saiba que eu o amo. O amo muito agora que sou grata a ele. Que desejo que ele seja feliz. Que ele saiba que nessa vida ele é amado. E que teremos a eternidade para acertamos tudo, porque graças a ele eu tenho fé.