terça-feira, 11 de abril de 2017

Eu me tenho

Eu tenho uma casa nova, um amor doce que se renovou, um trabalho que me instiga, me desafia. Tenho amigos que se mostraram incansáveis nos últimos meses, abrindo meu coração, chorando junto, curando cada pedacinho que eu machuquei. E tive a mim mesma. Nos piores momentos, na saudade mais doída, nos dias de desespero, nas horas em que eu não me conformava. Eu me tinha. Tive que achar caminhos, encarar muitos medos, muitos preconceitos, dores novas e antigas. Tive que entender que minha vida não seria mais a mesma e que preciso achar espaço para essa pessoa nova. Que o que eu tinha sentido e vivido ficaria comigo para sempre. O resto, não importa. Eu estava lá, eu vi e vivi tudo, eu dei tudo de mim. 
Novas músicas, novos sonhos, novos hábitos. Parar de lutar contra, entregar, deixar ir. 
Desistir muitas vezes é um ato de amor.